link href='data:image/x-icon;base64 Blog do Fantasma - Notícias: Janeiro 2012

Alvinegro encara o Atlético-PR hoje à noite, no Germano Krüger, e busca repetir as vitórias contra o rubro-negro no ano passado

Por Diário dos Campos, 25/1/2012

O Atlético-PR traz boas lembranças ao Operário. Ao menos três jogos no passado recente integram a relação de grandes momentos que o time ponta-grossense celebrou desde que voltou à elite do futebol paranaense.

Hoje, às 22 horas, no Germano Krüger, os dois times voltam a se encontrar, pela segunda rodada do Estadual, e o alvinegro esperar repetir os feitos do ano passado. Em 2011, a equipe de Vila Oficinas venceu os dois compromissos contra o rubro-negro, e ambos foram alguns dos pontos altos da campanha que resultou no terceiro lugar.

E é relembrando os bons momentos do passado que o time treinado por Carlos Paiva tenta a sua primeira vitória no Paranaense deste ano. Titular no meio de campo hoje à noite e integrante do elenco do ano passado, Zé Leandro admite que a partida de hoje tem um valor especial. “Lembro do ano passado, acho que foi uma das maiores alegrias da nossa equipe, vencer um time como o Atlético-PR, em casa, e esperamos poder repetir”, almeja o volante.

Em 2011 o Operário foi implacável com o Atlético-PR. No primeiro turno venceu por 1 a 0, e no returno, em plena Arena, aplicou 2 a 0. As duas vitórias são consideradas os pontos-chaves da campanha alvinegra naquele Paranaense, selando uma arrancada no início da competição, e no segundo turno, confirmando o time ponta-grossense como a grande sensação do Estadual daquele ano.

O Operário vem de um empate com o ACP, fora de casa, ponto celebrado principalmente devido ao fato da equipe ter tomado dois gols antes dos dez minutos de jogo. “O grupo mostrou que tem poder de reação, que somos capazes de buscar o resultado. Por outro lado, foi um alerta de que não podemos ter essa mesma bobeira contra um time como o Atlético”, comentou o volante, que deve ficar imbuído de marcar Paulo Baier. “A gente é volante e todo time tem um dez, um meia de qualidade, faz parte”, minimiza.

RESUMO:

Mudanças
Para a partida de hoje, o técnico Carlos Paiva deve mexer na equipe titular alvinegra. Uma das novidades é o retorno do meia Elvis. Na lateral-esquerda, Jeferson assume o lugar de Cláudio, enquanto que na direita jogará Wellington. No ataque, a dúvida é se Baiano terá condições, caso contrário, Marcelinho ocupa sua vaga.

RODADA:
18 horas
Iraty x Arapongas

19h30
Coritiba x Corinthians-PR

20h30
Londrina-PR x Paranavaí
Roma-PR x Cianorte
Rio Branco-PR x Toledo-PR

22 horas
Operário x Atlético-PR

Por Emmanuel Fornazari, Redação em Campo


A variação de postura do Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) durante o jogo contra o Atlético Clube Paranavaí (ACP) preocupa o técnico alvinegro Carlos Paiva.


Segundo ele, quarta-feira o time não pode entrar ‘desligado’ na partida.


“Contra o Atlético é um jogo atípico. Não teremos a mesma oportunidade de reação para correr atrás de um resultado adverso de 2 a 0, aponta.


O zagueiro, Renato Saldanha, também critica a desatenção da equipe. “Isto está acontecendo desde a pré-temporada. Temos que entrar centrados”.


O técnico do Operário aponta a falta de ritmo dos atletas para o desgaste no final da partida impedindo uma virada que se anunciava. “Acredito que vamos começar a dar o resultado esperado a partir da quinta rodada. Vamos estar bem evoluídos na parte física”, acredita Paiva.


Para o comandante, é importante acumular pontos enquanto a equipe não está 100% para quando atingir este nível já estar no topo da tabela. “Assim, vamos poder arriscar no fim do primeiro turno para chegarmos na frente”.

Participação decisiva com dois belos gols no empate entre Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) e Atlético Clube Paranavaí (ACP).

O atacante Baiano foi o responsável pela recuperação do Fantasma, que teve um primeiro tempo apático, levando dois gols de Edenilson, após falhas da defesa.

Ao fim da partida, o avante revelou que jogou no sacrifício. “Já havia sentindo dores durante a semana, mas viemos para o jogo. Durante a partida piorou, mas precisávamos da recuperação.

Baiano teve o esforço reconhecido ao ser ovacionado pela torcida operariana enquanto deixava o gramado do estádio Bom Jesus da Lapa. A contusão preocupa e o ídolo pode desfalcar o Fantasma na próxima quarta-feira. “Se o jogo fosse amanhã, eu não jogaria”, apontou ao fim da partida.

No entanto, Baiano promete se esforçar para entrar em campo contra Atlético-PR. “Tenho dois dias para fazer o tratamento. Vamos ver o que acontece”. O Operário enfrenta o Atlético-PR às 21h50 desta quarta-feira (25) no estádio Germano Kruger. É a estreia do Operário em casa neste Paranaense.


Fonte: Redação Campo



Imagem: Luciano Mendes

Por Mário Martins, JMNews – em 23 de janeiro de 2012


Time de Vila Oficinas levou dois gols no início do jogo, mas conseguiu reagir na etapa final


O primeiro jogo histórico do ano do Centenário, do Operário, começou em Apucarana, nesse domingo, contra o Clube Atlético Paranavaí. Pela primeira rodada do estadual, o time alvinegro de Ponta Grossa demonstrou falhas, principalmente no setor defensivo, mas também teve virtudes e poder de reação. Depois de levar dois gols no início da partida, marcados pelo ex-operarino Denilson, o time de Vila Oficinas voltou melhor estruturado para o segundo tempo, empatado o jogo, com dois gols de Baiano. O grande nome do jogo foi o meia Marcelinho, que entrou no segundo tempo. Na Quarta-feira o Operario recebe o Atlético Paranaense, em Vila Oficinas.


Veja s outros resultados da primeira rodada:

Paranavaí 2 x 2 Operário

Corinthians 4 x 1 Rio Branco

Arapongas 1 x 1 Roma

Cianorte 3 x 0 Iraty

Toledo 0 x 2 Coritiba

Atlético 2 x 0 Londrina


Imagem: André Veronez - Tribuna do Norte

Por Michael Ferreira, JMNews – 13/1/2012


Especialistas acreditam que o elenco montado pela diretoria do Operário está carente daquele jogador capaz de levar multidões ao estádio

Zeca, Arlindo, Leocádio, Nilson, Reinaldo, Ferrinho, Dico, Tião Quelé, Gracindo, Carlos Alberto Dias, Ivan e Lisa. Todos os nomes citados têm em comum o fato de se destacarem e serem ídolos, da torcida do Operário Ferroviário, quando defenderam as cores do alvinegro. “Não há nenhum jogador com características de ídolo, que possa levar a torcida ao estádio”, essas são as palavras do torcedor Alysson Antero em referência ao atual plantel do Fantasma, que, sem nenhum grande nome deixou a torcida carente de ídolo e daquele jogador que decide os jogos e leva multidões ao estádio, justamente no ano em que o clube comemora o centenário.



Jogadores desconhecidos tentam despontar e conquistar a torcida no ano em que o Operário comemora o centenário


“Falta um líder para o Operário Ferroviário dentro de campo, aquele jogador que é a referência do time”, avalia o colunista do Jornal da Manhã, Altair Bail, que não vê no atual elenco do Fantasma, um atleta de forte identificação com a torcida. “O Ceará é um jogador que tem condições de se tornar ídolo e ‘chamar’ à torcida ao Germano Kruger. Além dele, quem tem chances de se destacar, nesta temporada, são o goleiro Gabriel e os atacantes Marcelinho e Baiano”, acrescenta. O apresentador do programa Esporte e Emoção, Cândido Neto, também acredita que no atual plantel do time de Vila Oficinas não há um grande nome. “Está bem difícil neste elenco achar um jogador com condições de ser um ídolo”, opina.

Por Emmanuel Fornazari, Redação em Campo – 13/1/2012

Os dois jogos sem vitória ante o Iraty Sport Club faz com que o técnico do Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC), Carlos Paiva, fique preocupado com o poder de finalização de seus jogadores, principalmente, os de ataque.
Segundo o treinador, a equipe precisa melhorar também na armação das jogadas. Entretanto, ele quer, primeiro, maior porcentagem de aproveitamento das chances que aparecerem. “O Paranaense é um campeonato difícil. Às vezes temos uma, ou duas chances por jogo e temos que fazer o gol”, indica.

O comandante também aponta as jogadas de bola parada como uma estratégia recorrente a ser utilizada. “Dependendo da equipe e do estado do gramado, uma bola parada pode decidir o jogo”, explica, ao antecipar como planeja jogar contra o Atlético Clube Paranavaí (ACP), na estreia.
“Se nós conseguirmos fazer um gol nos primeiros minutos, de bola parada, por exemplo, teremos mais tranquilidade”. O confronto está agendado para o dia 22 de janeiro, às 17h, no Estádio Waldemiro Wagner, em Paranavaí.

Jogo-treinoAmanhã o OFEC enfrenta o Metropolitano (SC), em jogo-treino, no estádio Germano Kruger. A partida vai começar às 16h, como portões abertos. A equipe adversária chega hoje a Ponta Grossa.

Por Geraldo Bubniak - 12/01/2012 às 22h37min


O confronto entre Operário e Metropolitano, de Blumenau, de Santa Catarina, era para ser um amistoso, mas será apenas um jogo-treino. Com isso o confronto no sábado (14), no Germano Krüger, não terá as características de uma partida oficial, ou seja, sem uso de uniforme de jogo, com número ilimitado de substituições, por exemplo.

A partida contra a equipe catarinense também terá os portões abertos, assim como nos demais jogos-treinos que aconteceram em Vila Oficinas neste ano. A ‘transformação’ do caráter do amistoso ocorreu em função da Federação Paranaense de Futebol (FPF) ainda não ter concedido o laudo que libera o Germano Krüger, fato que deve ocorrer somente após o dia 16, quando a Comissão de Vistorias volta a Ponta Grossa.

A Federação Paranaense divulgou ontem a relação de amistosos que as equipes que irão participar do Estadual deste ano, caso do confronto entre Londrina e Flamengo, que acontece hoje, às 20h30, no Estádio do Café.

Hoje também o Arapongas entra em campo, em um amistoso com o time B do Palmeiras, no Estádio dos Pássaros, às 20h30. O outro compromissos será entre Roma e Palmeiras B, no Bom Jesus da Lapa, no sábado (14).

Ontem à tarde o Operário fez um jogo-treino com o Iraty, no Germano Krüger, onde o técnico Carlos Henrique Paiva utilizou os jogadores considerados reservas. O compromisso terminou em 0 a 0.



Restando poucos dias para a estreia no Campeonato Paranaense, o Operário se aproxima, ainda que um pouco involuntariamente, de sua torcida. O alvinegro faria um jogo-treino com o Iraty hoje longe de seu torcedor, na cidade de Rio Azul, mas se viu obrigado a mudar os planos em cima da hora.

A partida entre as duas equipes foi transferida para Ponta Grossa, sob o motivo das condições do gramado. Na tarde de ontem o gerente de futebol do time de Vila Oficinas, Marcelo Sfeir, foi até Rio Azul na tarde de ontem para avaliar as condições do gramado, e por precaução, as direções dos dois clubes entraram em um acordo e transferiram o compromisso para o Germano Krüger.

Além do local, o horário da partida também foi alterado, e será às 17 horas, com portões abertos. Com isso, o torcedor alvinegro ganha mais uma oportunidade de ver a equipe que irá atuar no Campeonato Paranaense.

No sábado o alvinegro faz um amistoso com o Metropolitano, de Blumenau, Santa Catarina, com a missão de – além do técnico Carlos Henrique Paiva ter a última oportunidade de testar seu elenco antes da estreia no Estadual – ‘apresentar’ o elenco à torcida.

Fonte: Diário dos Campos


Após o recesso de fim de ano, os jogadores, a comissão técnica e a diretoria do Operário Ferroviário voltam nesta terça-feira, as atividades para temporada 2012 – ano em que o alvinegro comemora o centenário.

Aos jogadores e comissão técnica, cabe a tarefa de, pelo menos, repetir a campanha que a equipe realizou no Estadual de 2011, quando foi terceira colocada e garantiu vagas para Copa do Brasil e da Série D. À diretoria do clube, a função de equilibrar as finanças de um time que inicia a temporada com um déficit mensal de R$ 50 mil.

Se a parte financeira ainda é uma questão a ser sanada e causa preocupação nos dirigentes do clube, o mesmo não se pode dizer do elenco formado para representar as cores do Fantasma, na temporada em que ele completa 100 anos.

“Conseguimos montar um bom plantel. Nossa intenção é manter o Operário como a terceira força do estado. Pretendemos, no mínimo, repetir a campanha que realizamos no Paranaense de 2011”, afirma o presidente do time de Vila Oficinas, Carlos Roberto Iurk.

Fonte: Jornal da Manhã, por Michael Ferreira