link href='data:image/x-icon;base64 Blog do Fantasma - Notícias: Operário no banco dos réus nesta segunda-feira


Atleta, comissão técnica, dirigentes e o próprio clube vão a julgamento em sessão hoje (ANTEONTEM) à noite

Image Hosted by ImageShack.us

Domingos Moro vai defender o Operário no julgamento


Por Vitor Hugo Gonçalves, NET Esporte Clube

O advogado Domingos Moro, que defende o Operário Ferroviário, terá trabalho na noite desta segunda-feira. O processo envolvendo o jogo entre Operário e Serrano, ainda pela primeira fase, é o segundo na pauta da 1ª Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná.

Vão ter de prestar contas a justiça o atacante Rafael Leandro, expulso por uma cotovelada no zagueiro Índio, o técnico Pedro "Caçapa" Damião, o massagista Jefferson Lourenço, o ex-preparador físico Richard Malka, o supervisor Tico e o gerente de futebol Marcelo Sfeir. O clube também foi denunciado e o estádio Germano Kruger pode até ser interditado, caso a pena máxima seja decretada.

A pena de Rafael Leandro pode variar entre 2 e 6 jogos de suspensão, mas o fato do atleta ser réu primário pode amenizar a situação e resultar na absolvição.

O técnico Caçapa e o massagista Jefferson foram indiciados com base no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que diz respeito a invasão do gramado. A pena é de uma a três partidas de suspensão. Porém, o massagista também vai responder por ofensa, podendo ser punido com mais 6 jogos, além de multa entre R$ 100,00 e 100.000,00.

O supervisor Tico e o gerente Marcelo Sfeir foram denunciados no artigo 243 do código, e podem ser punidos por ameaça e por incitar publicamente o ódio e a violência. Os 2 estiveram envolvidos em uma confusão com o 4º árbitro da partida, Sandro Schimidt. O bate-boca envolveu também profissionais da imprensa que teriam testemunhado Schimidt dirigir palavrões ao clube e aos dirigentes do Operário. A pena para Tico e Sfeir pode chegar a 720 dias de suspensão e multa de R$ 100.000,00.

Já o Operário Ferroviário foi denunciado por não oferecer as condições necessárias de segurança, o clube pode perder até dez mandos de campo ou até mesmo ter o estádio Germano Kruger interditado.

A sessão está marcada para começar às 19 horas, na sede do Tribunal de Justiça Desportiva, em Curitiba.

0 Responses so far.