link href='data:image/x-icon;base64 Blog do Fantasma - Notícias: A ética assombrada

A verdade é que esta foi uma rasteira em todos proporcionada pelo "Clube Aidético Paranaense", pois o Lisa além de estar em plena disputa do Campeonato Paranaense pelo nosso Operário, também estava nas pretensões do Coritiba, que acredito estar respeitando o fato de a saída deste importante jogador, desfalcar o OFEC. Aí, os aidéticos agem sorrateiramente e levam o nosso destaque.

Ainda pior é ter de considerar que os diretores daqui sequer pensaram no nosso time e em nós torcedores. Se o time tem pretensões de se classificar para o Campeonato Brasileiro, como permitiram esse desfalque ?

Conseguem com isso, com mais essa malfadada atitude, deixar a impressão de que tem "urubú gordo" levando uma porcentagem com essa jogada. Qual será o nome dele ? Diria o torcedor menos informado. Mas pode bem ser o mesmo que manda não entregar o canhoto dos ingressos para alguns torcedores ou o mesmo que recolhe pessoas gratuitamente na parte coberta, e sabe-se lá mais o que.

Quanto aos canhotos não entregues, não se enganem, não é que esqueci, é que não adianta eu ficar gritando um alerta aqui enquanto outros colocam "panos quentes" na situação porque por motivos outros lhes convém e também porque outros parecem não estar nem aí.

Senão vejamos a pergunta do dia: é justo que o torcedor comum, tire lá do fundo o seu pobre dinheirinho e pagar para ver os jogos, enquanto outros entram "espertamente" de graça no Germano Krüger ? Só para lembrar, a entrada na parte coberta é R$ 50,00 para que se tenha aquele "conforto".

Talvez para alguns isso seja perfeitamente normal, mas para mim não é, não entendo, não concordo e não acho justo, portanto afirmo e aconselho, não coloco mais meus pés no Germano Krüger e que façam o mesmo todos aqueles que tem princípios éticos que acham de bom costume seguir. É de dar um aperto no coração não ver o meu time jogar, mas é a atitude que considero a mais correta neste momento onde “fantasmas marcianos” assombram por detrás dos muros do Operário Ferroviário Esporte Clube – OFEC.

Só gostaria de uma resposta, já que para as outras perguntas é tão difícil: se um jogador pode sair assim, em plena disputa dos interesses do clube e dos torcedores, como ficaria o time se outros “espertalhões” viessem até aqui e levassem outros destaques como o Serginho Catarinense, o Delazari, etc, etc, etc...?

Por Marcos Borkowski

0 Responses so far.